Você provavelmente se deparou com um arquivo com a extensão .xml e está se perguntando o que é esse tipo de arquivo. XML, do inglês eXtensible Markup Language, é uma linguagem de marcação para a criação de documentos com dados organizados hierarquicamente, tais como textos, banco de dados ou desenhos vetoriais. A linguagem XML é classificada como extensível porque permite definir os elementos de marcação, isso significa que você pode criar suas próprias marcações e interpretarlas em seu código como você bem entender, diferente de outras linguagens de marcação, como o HTML, que obrigam o uso de algumas tags pré-definidas.

Linguagem de Marcação

Linguagem de marcação é um conjunto de códigos e/ou convenções aplicados a dados ou textos para serem lidos por computadores e secundariamente por pessoas. As linguagens de marcação mais famosas são o HTML, que é uma linguagem de marcação para formatar páginas na internet, e o XML, que tem o mesmo conceito, mas para padronizar sequências de dados para facilitar a comunicação com e entre sistemas digitais. Veja um comparativo das duas linguagens:

XML

<?xml version="1.0"?>
<filmes>
    <filme id="1">
        <titulo>As Branquelas</titulo>
        <genero>Comédia</genero>
        <elenco>
            <ator>Terry Crews</ator>
            <ator>Marlon Wayans</ator>
            <ator>Shawn Wayans</ator>
        </elenco>
    </filme>
</filmes>

HTML

<!DOCTYPE html>
<html>
<head>
<meta charset="UTF-8">
<title>Título da Página</title>
</head>

<body>
Conteúdo da página
</body>

</html>

Breve história do XML

O XML começa com o desenvolvimento da SGML (Standardized Generalized Markup Language) por Charles Goldfarb, junto com Ed Mosher e Ray Lorie na década de 1970, enquanto trabalhava na IBM (Anderson, 2004).

Uma das aplicações mais populares da SGML veio com o desenvolvimento da HTML (HyperText Markup Language) por Tim Berners Lee no final dos anos 80 (Raggett, Lam, Alexander & Kmiec, 1998).

Quando se trata de armazenamento e intercâmbio de dados, o HTML é uma linguagem inadequada, pois foi originalmente concebido como uma tecnologia de apresentação, enquanto o SGML é considerado muito complexo para uso geral.

O XML preenche essa lacuna por ser legível tanto por humanos quanto por sistemas, além de ser flexível o suficiente para oferecer suporte ao intercâmbio de dados independente de plataforma e arquitetura.

Durante muito tempo o XML foi o padrão de comunicação entre sistemas, facilitando a integração humana com diversos programas, diversos protocolos de comunicação web implementar o XML como seu meio de comunicação, sendo o mais famoso o SOAP. Com a criação do JSON o XML perdeu bastante espaço e vem se tornando obsoleto em certos usos.

Aplicações do XML

Como vimos previamente, o XML permite uma leitura fácil para humanos e para máquinas, então sua gama de aplicações é bem abrangente:

  • Publicação na Web: o XML permite criar páginas interativas, permite ao cliente personalizar essas páginas e torna a criação de aplicativos de comércio eletrônico mais intuitiva.
  • Pesquisa na Web e automação de tarefas na Web: XML define o tipo de informação contida em um documento, facilitando o retorno de resultados úteis ao pesquisar na Web, um exemplo prático disso são os Feeds de RSS.
  • Aplicativos gerais: o XML fornece um método padrão para acessar informações, facilitando o uso, armazenamento, transmissão e exibição de dados de aplicativos e dispositivos de todos os tipos.
  • Aplicativos de e-business: as implementações XML tornam o intercâmbio eletrônico de dados (EDI) mais acessível para o intercâmbio de informações, transações entre empresas e transações entre empresas e consumidores.
  • Aplicativos de metadados: o XML facilita a expressão de metadados em um formato portátil e reutilizável.

Estrutura do XML

Toda linguagem de marcação começa com uma tag inicial, que identifica qual tipo de arquivo ele é, no caso do xml temos <?xml version="1.0" encoding="utf-8" ?> , e em sequência temos a tag root, ela é quem vai organizar e encapsular todas as demais tags filhas:

<?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?>
<root>
  <filha>
    <subfilha>.....</subfilha>
  </filha>
</root>

Agora vamos para um exemplo mais prático:

<?xml version="1.0" encoding="UTF-8"?>
<clientes>
  <cliente>
    <nome>Henrique Marques Fernandes</title>
    <idade>28</idade>
    <pais>Brasil</pais>
  </cliente>
  <cliente>
    <nome>Terry Crews</title>
    <idade>55</idade>
    <pais>USA</pais>
  </cliente>
</clientes>

Como criar um arquivo XML

Criar um arquivo XML é bem simples, você pode usar editores online para isso ou apenas um editor de texto simples, o importante é sempre salvar o arquivo com a extensão .xml.

Se você deseja aprender mais sobre como criar um arquivo XML, eu indico a leitura da documentação no site da Mozilla, ela é bem didática e por isso não achei necessário criar um tutorial para isso.

0 0 voto
Nota do Artigo
Author

Um nerd nada tradicional… Desenvolvedor web full-stack, escritor amador e inventor nas horas vagas. Apaixonado por tecnologia e entusiasmado por projetos de código aberto!

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x